29 de fevereiro de 2016

Primeira semana de Fusão


Fim-de-semana. Lá fora chovia a cântaros. O frio reinava e nem dentro de casa escapávamos à fúria do tempo. Era dia de voltar a avaliar a nossa viagem na exploração inspirada em Reggio Emilia. Estávamos a seguir esta lista e a coisa não estava a correr nada mal.

Dia 1 - Tínhamos sido apresentados ao "plano";
Dia 2 - Esta já estava mais ou menos feita. Pouco tempo antes desta série, já tinha dado uma volta aos brinquedos e retirado os que já não lhe interessavam. Foi, portanto, altura de passar uma segunda volta e guardar tudo o que não estava a ser usado na altura e substituído por material que pudesse ser mais estimulante na fase actual. A organização do material arrumado é que estava mais complicado. Não haviam caixas que chegassem nem lugar para as arrumar. Isto iria requer um ponto extra: organizar e destralhar todos os roupeiros da casa, de modo a tentar arranjar espaço para guardar as caixas.
Dia 3 - Melhou. Não ficou bem feitinho, porque precisa de coisas que não encontro e outras para as quais não há orçamento neste momento. Com tempo vai lá, mas parece-me que está melhor agora. Mais simples, mais agradável, mais intuitivo, mais inspirador.
Dia 4 - Isto já estava feito há milhares de anos! O rapaz agora só quer saber de letras e números. Tornou-se mesmo uma "obcessão", ao ponto de mal comer ou dormir para ir trabalhar nas letras e números. O trabalho tem sido feito precisamente no sentido inverso: mostrar-lhe que, não só há outras actividades com letras e números que podem, e devem, ser feitas de outro modo, como também mostrar e incentivar ao trabalho em outras áreas. Outros temas de interesse recentes são os carros e culinária. Vamos abordar mais estes em breve.
Dia 5 - Descansámos e brincámos.
Dia 6 - Também descansámos e brincámos ainda mais.


No fim da semana sentia que não tinha feito nada de significativo, em relação ao que já estava feito e que fazia habitualmente, achava que o que tinha mudado mais tinha sido mesmo a minha maneira de pensar, de ver as coisas e as actividades e de as preparar. Foi nesta altura que comecei a deixar dicas de outros temas para ver se lhe interessavam e se os poderíamos começar a explorar, como tinha sido o caso da caixa da Natureza, da qual falaria mais tarde.

Sem comentários:

Enviar um comentário